Brasileiros

Agenda: Confira os destaques das próximas semanas (28/09)

Arte - Encontros

Na capital paulista, é possível conferir o 35º Panorama da Arte Brasileira, mais de 200 obras de Di Cavalcanti na Pinacoteca e a primeira exposição de Guerrilla Girls no Brasil
Da Redação
Publicado em: 28/09/2017 - 16:11Alterado em: 19/10/2017 - 18:30
Guerrilla Girls, Do Women Have To Be Naked To Get Into the Met. Museum?, 1989

Guerrilla Girls: Gráfica, 1985 – 2017, individual no Masp, em São Paulo, de 29/9 até 14/02/2018

A primeira individual das Guerrilla Girls no Brasil conta com 116 trabalhos – dentre eles, dois são inéditos. Sob a curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, e Camila Bechelany, curadora-assistente do MASP, a mostra reúne os icônicos cartazes do coletivo de artistas feministas criado em 1985, em Nova York, e uma performance no sábado, 29/09, às 20h, com quatro integrantes do grupo.




Da minha Janela, 2012 (Foto: Jailton Nunes / Mão na lata)

35º Panorama da Arte Brasileira – Brasil por multiplicação, coletiva no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), em São Paulo, até 17/12

Com curadoria de Luiz Camillo Osorio, a Panorama deste ano reúne obras de 20 artistas, além de coletivos do País – não só de artes plásticas, como também de dança, fotografia e arquitetura. Dentre os destaques, estão Barbara Wagner (Brasília), Benjamin de Burca (Alemanha), José Rufino (Paraíba) e Fernanda Gomes (Rio de Janeiro), com trabalhos inéditos. A mostra conta também com seleção da produção fotográfica do Coletivo Mão na Lata, da favela da Maré, e com trabalho de artistas do coletivo MAHKU, do povo indígena HuniKuin, do Acre.




(Foto: Alessandra Rehder)

Subtração e Forma, individual no Centro Cultural Correios de São Paulo, até 8/10

Com curadoria de Wagner Barja, a mostra é composta de cerca de 80 imagens de diferentes séries de Alessandra Rehder. A artista pontua realidades subtraídas em diversos continentes com uma técnica autoral, na qual elementos recortados das imagens lançam vazios e tridimensionalidades eloquentes.




Di Cavalcanti, Mulheres Facetadas, 1968

“No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos”, individual na Pinacoteca, em São Paulo, até 22/1/2018

No mês em que se comemora 120 anos do nascimento de Emiliano Di Cavalcanti, a Pinacoteca abre exposição com mais de 200 obras do artista, entre pinturas, desenhos e ilustrações. Com curadoria de José Augusto Ribeiro, a mostra pretende não só trazer obras icônicas de Di Cavalcanti, um dos mais importantes artistas do modernismo brasileiro, como também apresentar aspectos menos conhecidos de sua trajetória - como sua condição de correligionário do Partido Comunista do Brasil (PCB), ilustrações que criou para capas de discos e charges para revistas.




Iván Argote, Sírvame de tí, 2017

Somos, individual na Galeria Vermelho, em São Paulo, até 7/10

A Galeria Vermelho exibe dois filmes do colombiano Iván Argote. Em Somos (Título original: As far as we could get), ele cava um túnel imaginário entre a Indonésia e a Colômbia, respectivamente entre os municípios de Palembang e Neiva, cidades situadas em localidades diametralmente opostas em relação à Terra. Argote relacionou-se com habitantes de condições sociais similares nos dois países e teve como foco os jovens nascidos no mesmo dia da queda do Muro de Berlim.




Iván Argote, Reddishblue Memories, 2017

Reddishblue Memories, individual na Galeria Vermelho, em São Paulo, até 9/10

Já em Reddishblue Memories (Tradução:Memórias azul-avermelhadas), também em exposição na Galeria Vermelho, Iván Argote utiliza memórias afetivas como parte de um projeto de pesquisa baseado no seguinte rumor: no final da década de 1960, a Kodak Company percebeu que as fotos feitas com Kodachrome tornavam-se avermelhadas com o passar do tempo e, no contexto da Guerra Fria, decidiu que os arquivos dos Estados Unidos não poderiam acabar com a cor do inimigo e desenvolveram o processo Ektachrome, em que as imagens acabam se tornando azuladas.




Marcelo Armani, Ruidógrafo, 2016

Partituras, individual na Adelina Galeria, em São Paulo, até 4/11

Com curadoria de Lucas Bambozzi, a exposição reúne instalações sonoras de Marcelo Armani. Com uma parede em diagonal dividindo o espaço em dois, está Ruidógrafo e Concerto Diplomático, ambas realizadas em 2016, em versões recriadas especificamente para a sala de entrada da Galeria Adelina. Propõe-se uma tensão entre ruído e silêncio, frequências e intensidades de vibração, em uma grande investigação sobre experimentação e observação.




(Foto: Acervo Museu da Pessoa)

Quem sou eu?, exposição em parceria com o Museu da Pessoa, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, até 17/12

Em comemoração ao 25º aniversário do Museu da Pessoa, o Sesc Vila Mariana recebe uma curadoria de vídeos feita pelo próprio Museu, além de apresentar o resultado dos encontros de formação junto aos funcionários do Sesc SP, que também foram responsáveis por selecionar alguns usuários da instituição para narrar em vídeo as histórias de vida. A mostra conta também com obras inéditas produzidas por três curadores convidados, Viviane Ferreira, Cristiano Burlan e Diógenes Moura, que comporão três espaços poéticos e imersivos.

Assine e Colabore

Precisamos do seu apoio. Por menos de um café com pão de queijo, você garante jornalismo com rigor editorial.

X

Acesso restrito a assinantes e cadastrados

Você atingiu o limite de 5 REPORTAGENS por mês

Identifique-se para continuar e ler 10 Reportagens por mês

Cadastre-se

ou

Conecte-se com o Facebook

já sou cadastrado

Colabore conosco!
Colabore com o futuro do jornalismo de qualidade.
Assine agora e tenha acesso ilimitado

Aproveite nossa promoção de lançamento e pague apenas R$ 1,90/mês*

Quero Assinar * Promoção válida até 31 de Dezembro de 2017